Entremeios


Entremeios, Revista de Estudos do Discurso, ISSN 2179-3514, é uma publicação do Programa de Pós-Graduação em Ciências da Linguagem da Universidade do Vale do Sapucaí (UNIVÁS), e visa constituir um espaço de interlocução entre perspectivas teóricas que pensam a linguagem em sua relação com a conjuntura em que existe, funciona e é praticada produzindo seus efeitos. Desse modo, são privilegiados os trabalhos que se filiem a esta temática, em que, se é verdade que o social está pressuposto, a abordagem pode ser variada: a língua em sua dinâmica no espaço e no tempo, a língua na relação com a Nação e o Estado, as línguas no Brasil e no mundo, linguagem e arte, linguagem e mídia, linguagem e tecnologia, linguagem e comunicação, linguagem e ideologia, linguagem e inconsciente, linguagem e ensino, entre inúmeros exemplos que poderíamos arrolar. A Revista não estabelece nenhuma restrição quanto ao referencial teórico utilizado, mas dá preferência aos trabalhos que explorem a relação mencionada acima, ou seja, o vínculo necessário entre a linguagem e a sociedade. A Revista não publica trabalhos que se caracterizem como estritamente literários, ou que se afastem dos requisitos comuns à produção científica normalmente praticada na área.
Endereço eletrônico: http://www.entremeios.inf.br/

Seções


Entremeios abriga seis seções:
  • Estudos (artigos e ensaios inéditos na área)
  • Entrevista com pesquisadores da área
  • Perfil biobibliográfico de pesquisadores da área
  • Resenha de textos recentes da área
  • Republicação de textos antigos
  • Temática (artigos e ensaios inéditos na área que discutam uma temática específica)


Licenças e Taxas


A Revista Entremeios não aplica taxas de submissão, avaliação ou de qualquer outra natureza em seus processos, configurando-se como veículo científico sem fins lucrativos, tampouco comerciais, voltado à comunidade científica brasileira e/ou internacional.
A Entremeios configura-se, dessa maneira, como uma revista científica que oportuniza acesso livre, irrestrito e imediato ao conteúdo que publica semestralmente, seguindo o princípio de que a disponibilização gratuita do conhecimento científico ao público permite que o conhecimento circule de forma ampla, podendo produzir efeitos sociais significativos e relevantes.
Sendo assim, os originais aceitos e publicados pela Entremeios, em todas as suas seções, passam a ser propriedade da Revista, sendo disponibilizados gratuitamente por meio eletrônico, podendo ser reproduzidos por qualquer meio, para qualquer fim, desde que devidamente citada a fonte.

Esta obra está licenciada com uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Indexação


Entremeios é indexada pelos seguintes indexadores:















Periodicidade


Entremeios é publicada semestralmente, com 2 edições: janeiro-junho e julho-dezembro. As contribuições às seções Estudos e Temática devem ser encaminhadas pelo sistema de submissão de trabalhos, e são recebidas em fluxo contínuo, para a seção Estudos, e em prazo específico divulgado via Chamadas de Submissão, para a seção Temática.

Trabalhos recebidos entre dezembro e maio são publicados no segundo semestre, na edição de julho-dezembro.
Trabalhos recebidos entre junho e novembro são publicados no primeiro semestre, na edição de janeiro-junho.

O tempo de julgamento e aceitação (ou não) de um artigo submetido à Entremeios é de até 6 meses.

As seções Estudos, Entrevista, Perfil biobibliográfico e Temática têm periodicidade semestral. As seções Resenha e Republicação são publicadas de acordo com a disponibilidade dos textos.

Na seção Republicação são publicados textos relevantes para nossa área, mais antigos, em que já não há reservas de direitos autorais.


Submissão e Avaliação de Trabalhos


Os textos submetidos à Entremeios são avaliados por dois pareceristas, de forma anônima. São aceitas submissões à Seção Estudos e à Seção Temática. Somente serão publicados os artigos que obtiverem aprovação de ambos os pareceristas. Caso haja disparidade no resultado de análise, a contribuição submetida é encaminhada a um terceiro referee.

O tempo de julgamento e aceitação (ou não) de um artigo submetido à Entremeios é de até 6 meses.

As seções Entrevista, Perfil e Republicação não são abertas à submissão de trabalhos, sendo reservadas para publicação de textos selecionados e/ou de autores convidados pelo Comitê Editorial Assessor, que analisará a viabilidade da publicação. Autores interessados em submeter trabalhos para algumas dessas seções devem entrar em contato antecipadamente com a Secretaria Executiva da Revista, que analisará, também junto ao Comitê Editorial Assessor, a viabilidade da publicação.


Seção Temática: Genéricos discursivos: enunciação, memória e história (NOVO)


Organização: Paula Chiaretti (Univás) e Leda Verdiani Tfouni (USP)

Esta seção temática se dedicará a publicar textos que busquem trabalhar em suas articulações teóricas e analíticas questões pertinentes à compreensão do funcionamento da linguagem de genéricos discursivos tais como provérbios, slogans, máximas, rezas, fórmulas adivinhatórias, ditos populares, que constituem resumos historicamente constituídos das experiências e atividades do homem sobre o (no) mundo, e codificam os valores e crenças de uma cultura, que se caracterizam por ser fórmulas que codificam o conhecimento do mundo e da experiência factual de gerações e que ficam condensadas em um único enunciado, como: “Homem não chora”, “É de pequenino que se torce o pepino”, ou “Jogou fora o bebê com a água da bacia” (este último é um dito popular que mostra a relação com o humor). Os genéricos derivam de uma cristalização de repetições linguageiras, de cunho deôntico (em geral, contêm um “ensinamento de ordem moral). São enunciados mínimos, de estrutura sintática simples. De modo geral, podemos afirmar que esse discurso se caracteriza por produzir um efeito de atemporalidade, apresentando-se como a-histórico, de modo a dissimular o caráter contingente da sua formulação. Desde esse ponto, também podemos considerá-lo um material linguístico privilegiado na compreensão do funcionamento do esquecimento n. 2, de Pêcheux, já que o genérico discursivo aponta para um fechamento de sentido, um ponto de partida ou chegada exato, favorecendo a ilusão de realidade do pensamento, bem como, porque, ao apresentar-se, com frequência por meio de uma fórmula sintética, fixa e invariável (“não poderia ser dito de outra maneira”), fortalece a interdição de qualquer paráfrase. Por outro lado, aparece, frequentemente, como um discurso citado, ainda que a autoria aí possa ser tomada como uma questão própria a esse discurso: retoma-se o já-dito, mas por quem? O caráter anônimo dessa produção também nos coloca questões a serem exploradas. Nesse sentido, buscaremos, ainda, dar espaço a trabalhos que levem em conta o processo interpretativo que modula a restrição ou abertura desses genéricos, já que a “aparente descontextualização é enganosa, visto que se prestam ao uso em inúmeros contextos”. Reboul (1975) apresenta uma classificação desses genéricos, procurando fazer uma distinção entre o slogan e as outras fórmulas: a norma, as palavras de ordem, a divisa, e, finalmente, o slogan, do qual sua obra trata. Outro ponto importante a considerar é que, como o sujeito, para a Análise do Discurso, não é o dono nem a origem do sentido, podemos incluir aí as noções de memória discursiva, de história da produção de sentidos, e também de alteridade. Quem pode nos socorrer nesta discussão é a psicanálise, quando afirma que é impossível fazer “um”, pois o sujeito do discurso é dividido por definição. Chemama, falando sobre os provérbios na experiência psicanalítica, afirma que “[...] só se pode dar conta da experiência do real na forma proverbial” (2002, p. 25), pois, ao usar estas fórmulas encapsuladas, o sujeito anula-se enquanto locutor e refugia-se, através da língua, no grande Outro irredutível. É, portanto, o domínio do Outro sobre o sujeito que os genéricos indiciam. Passando, então, da objetividade e do efeito de eficácia que o genérico discursivo produz para a complexidade dessa formulação, os trabalhos publicados nesta seção temática buscarão, de modo geral, compreender o processo de produção de sentidos em jogo nessa materialidade discursiva.

Os interessados devem submeter suas contribuições na plataforma online da revista Entremeios (http://www.entremeios.inf.br/), na opção seção temática, até o dia 10 de setembro de 2020.

Todos os textos serão submetidos a avaliação pelos pareceristas da revista.











     Links Importantes: